Passar para o Conteúdo Principal Top

Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos Ponte de Lima

Paisagem Protegida das Lagoas_v2

Mergulhão-pequeno

Tachybaptus ruficollis 1 600 600

O Mergulhão-pequeno (Tachybaptus ruficollis), como o próprio nome indica, é o mais pequeno dos mergulhões. Imediatamente identificável pela sua cabeça de forma arredondada e pelo seu pequeno bico de cor pálida. Pescoço curto, corpo atarracado e traseira levantada tipo "pompom". Coloração castanha em praticamente todo o corpo, em tons de avelã e mel, com o dorso muito escuro.

 

Voz

Chamamentos agudos metálicos com crescendos e decrescendos. Não vocaliza no inverno.

 

Habitat

O mergulhão-pequeno prefere as águas lentas e calmas. Por essa razão, é vulgar encontrá-lo em pequenas zonas alagadas, como charcos e valas de rega. Durante a época de reprodução, procura zonas alagadas, com abundante vegetação nas margens, que lhe permite dissimular o seu ninho. Inverna em lagos com pouca vegetação, albufeiras e zonas abrigadas do litoral.

 

Comportamentos

É uma espécie residente, de difícil observação devido ao seu carácter discreto e selvagem. Tímido, refugia-se em juncais e caniçais, durante longos períodos de tempo.

 

Voo

Passa maior parte do tempo em terra e é raro observá-lo em voo.

 

Nidificação

Como a maioria dos mergulhões, constrói o seu ninho flutuante com plantas aquáticas, caules e caniços, amarrados a arbustos à superfície da água. A fêmea faz a postura de 5 a 6 ovos, entre abril e julho. A incubação, cuja duração é de de 20 a 27 dias, é assegurada por ambos os progenitores. Uma segunda postura, ou uma postura de substituição, pode ser realizada nos princípios do mês de agosto. As crias abandonam o ninho logo após a eclosão, acompanhando os seus progenitores nos passeios quotidianos, refugiando-se, muitas vezes, no dorso destes. São autónomos a partir do mês e meio; por esta altura, começam também a ser capazes de voar.

 

Dieta

É o menos piscícola de todos os mergulhões; é capaz de encontrar, mesmo em pequenas plantas aquáticas, larvas de insetos e invertebrados aquáticos em quantidade suficiente para satisfazer o seu apetite, inclusive na época da reprodução. Mergulha incessantemente na busca de moluscos e crustáceos, que são a essência da sua dieta, ficando muito pouco tempo à superfície.

 

Na Paisagem Protegida

Esta ave aparece com regularidade na Paisagem Protegida, nomeadamente nas duas lagoas.

 

Fonte: Adaptado de Azibo.