Passar para o Conteúdo Principal Top

Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos Ponte de Lima

Paisagem Protegida das Lagoas_v2

Outras Atribuições

Em paralelo à atividade diretamente relacionada com a Área Protegida, somam-se as seguintes responsabilidades atribuídas no âmbito da atividade do Município de Ponte de Lima:

  • Rede de Percursos e Ecovias Municipais

    Cabe à Área Protegida os trabalhos de manutenção da sinalética dos percursos pedestres e ecovias municipais, bem como, a limpeza da vegetação espontânea que até 2019, incluía a ecovia da Lagoas e da Laranja.

    Acresce referir que coube à Área Protegida o desenvolvimento de conteúdos e posterior criação dos topoguias para a totalidade das dos percursos pedestres e ecovias municipais (18), bem como da aplicação móvel dos percursos pedestres e ecovias de Ponte de Lima.

  • Criação e Dinamização do Projeto Hortas Urbanas e Sociais de Ponte de Lima

     

    1. Hortas Urbanas de Ponte de Lima

    O Sensibilizar a população para os impactos ambientais e sociais resultantes das alterações que têm ocorrido no espaço rural, bem como disponibilizar aos munícipes, nomeadamente aos que não possuam terras agrícolas, um lote de terreno para fins agrícolas, são os objetivos principais deste projeto.

    Em simultâneo, o projeto pretende proporcionar um espaço de ocupação dos tempos livres a todos os que participem no mesmo e ainda concorrer para a manutenção das atividades humanas e consequentemente para o uso e ocupação do solo da Veiga de Crasto, local onde vai decorrer o projeto.

    Assim, o Município disponibiliza aos participantes um lote de terreno de 40m2 inserido numa área vedada, um ponto de água destinada à rega das culturas instaladas no lote, um abrigo comum para armazenamento dos utensílios agrícolas e um espaço comum para compostagem ou colocação de estrumes, para além de fornecer informação sobre os modos de produção e práticas culturais ambientalmente corretas e um livro que permitirá a comunicação entre os participantes e o Município de Ponte de Lima.

    De acordo com o regulamento do projeto pode candidatar-se qualquer munícipe, sendo conferida prioridade aos candidatos seniores, a jovens casais, ou ainda a pessoas que não possuam terras agrícolas.

    Inicialmente, ao serem apresentadas em 2009, as "Hortas Urbanas" contavam com 36 lotes de terreno mas face à elevada procura a que se assistiu verificou-se uma necessidade de disponibilizar um maior número. Neste sentido, em dezembro de 2011 o espaço aumentou para 81 lotes. Em março de 2012 deu-se uma nova ampliação sendo que atualmente a veiga de Crasto dispõe de 141 lotes de terreno.

     


     
    2. Hortas Comunitárias de Arcozelo

    O Projeto Hortas Comunitárias de Arcozelo detém como principal objetivo proporcionar um reforço do apoio social concedido, em especial a todos aqueles que integram a comunidade do Bairro Social da Poça Grande - Arcozelo, através da viabilização do cultivo de um lote de terreno que permitirá, entre outros, naquele contexto urbano específico, a obtenção de produtos agrícolas frescos que contribuam para a subsistência/complemento alimentar das famílias ali existentes, bem como para a ocupação de tempos livres ao ar livre e em contacto direto com a terra.

    Neste quadro e por esta via, o Município de Ponte de Lima requalificou um terreno adjacente ao Bairro Social, sua propriedade, e criou um espaço de valorização do espírito comunitário que certamente exercerá um importante papel enquanto promotor da convivência social entre gerações e de bons comportamentos sociais, da saúde e da qualidade de vida dos participantes no projeto mas, também, ao nível da sensibilização dos mesmos para os impactos ambientais e sociais resultantes das profundas alterações que têm ocorrido no espaço rural.

    Estarão disponíveis cerca de 20 lotes, com 45m2 cada.

  • Preservação e Valorização das Margens Ribeirinhas

    Em paralelo às responsabilidades detidas no âmbito das ecovias municipais, a Área Protegida tem vindo a executar vários projetos aprovados ao abrigo dos Programas Operacionais da Região Norte sendo que, sempre que possível, tem apresentado ainda projetos no âmbito do Fundo de Proteção dos Recursos Hídricos e POSEUR.

    Acresce ainda referir o papel que a Área Protegida tem vindo a desenvolver no âmbito da prestação de informação e proposta de medidas associadas aos Planos de Gestão da Região Hidrográfica do Minho e Lima, nomeadamente no que concerne ao período 2016-2021, e ao nível da sensibilização e (in)formação ambiental, via serviço educativo, para a importância da salvaguarda e valorização dos recursos hídricos concelhios.

  • Organização e Apoio na Organização e Desenvolvimento de Eventos Municipais

    Cabe à Área Protegida a organização e desenvolvimento:

    • Feira da Educação, Ciência e Tecnologia
    • Workshop Infantil de Ciência
    • Workshop School4All
    • Feira 100% Agrolimiano


    Cabe, ainda, à Área Protegida, apoiar na organização e/ou desenvolvimento:

    • Feira da Caça, Pesca e Lazer
    • Feira do Cavalo
    • Expo Saúde/Juventude
    • Feira do Porco e as Delícias do Sarrabulho
    • Festa da Gente Miúda
  • Implementação e Gestão da Bolsa de Terras Agro-Florestais de Ponte de Lima

    Cabe, na atualidade, à Área Protegida, que numa fase embrionária, deteve um papel decisivo na implementação da Bolsa de Terras Agro-Florestais de Ponte de Lima, gerir os pedidos de oferta e de procura de terrenos, bem como avaliar, previamente à disponibilização dos contactos dos proprietários, a viabilidade das pretensões/projetos associados a pedidos de informação sobre os terrenos disponíveis na Bolsa.

  • Festival de Jardins Escolinhas de Ponte de Lima

    O Festival de Jardins Escolinhas de Ponte de Lima foi implementado de modo a contribuir para a plena concretização de um dos principais objetivos do Festival Internacional de Jardins “conferir um contributo pedagógico, de mobilização e de sensibilização da população, sobretudo das camadas mais jovens, para a arte dos jardins e para os problemas ambientais”. Resulta numa nova medida que visa continuar a promover o envolvimento dos limianos neste acontecimento anual, com projeção nos quatro cantos do mundo, permitindo-lhes obter uma melhor noção da sua importância na promoção e no desenvolvimento sustentável do concelho.

    Coube à Área Protegida a implementação das 5 edições já realizadas/em curso:

  • Gestão do Edifício Clara Penha - Casa dos Sabores

    Cabe à Área Protegida assegurar a gestão dos pedidos de utilização do equipamento, bem como as tarefas de limpeza e preparação do mesmo.

  • Balcão Rural

    Cabe à Área Protegida afetar, quinzenalmente, um técnico superior para conferir apoio aos agricultores e produtores do concelho de acordo com o definido no protocolo de colaboração estabelecido entre o Município de Ponte de Lima e a COOPALIMA.

  • Conselho Cinegético de Ponte de Lima

    Cabe à Área Protegida assegurar as necessidades em termos de secretariado e de assessoria técnica nas reuniões e, em eventuais trabalhos a desenvolver no âmbito do Conselho.