Passar para o Conteúdo Principal Top

Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos Ponte de Lima

Paisagem Protegida das Lagoas_v2

Prémios e Menções

  • premio_paisagem_2018     Prémio Nacional da Paisagem 2018

    De acordo com a informação disponibilizada no site oficial do Prémio, O Prémio Nacional da Paisagem, criado no âmbito das ações de implementação da Convenção Europeia da Paisagem, detém como objetivos:

    1. Reconhecer a implementação de uma política da paisagem ou de medidas implementadas pelas autoridades locais ou regionais ou pelas suas associações ou agrupamentos, ou contribuições especialmente importantes de organizações não-governamentais, para a proteção sustentável, a gestão e ou o ordenamento das paisagens;
    2. Incrementar a sensibilização da sociedade civil para a importância das paisagens, quer enquanto fator de identidade e valor fundamental do quadro de vida das populações, quer enquanto fator potencial de desenvolvimento, e para as importantes funções culturais, ecológicas, ambientais e sociais desempenhadas pela paisagem;
    3. Preparar a candidatura nacional ao Prémio da Paisagem do Conselho da Europa.

    Segundo o texto publicado na mesma fonte, “A Senhora Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza atribuiu, sob proposta do Júri, o Prémio Nacional da Paisagem 2018 à candidatura Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico (Região Autónoma dos Açores) ”, bem como três menções especiais, sendo que uma delas corresponde à candidatura apresentada pela Câmara Municipal de Ponte de Lima no âmbito do projeto desenvolvido na Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos.

    Para o Júri do Prémio, o Projeto de Conservação e Valorização do Património Natural das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, destaca-se pelo envolvimento coletivo nas iniciativas de conservação da natureza, pelo contributo para o reforço da coesão social daquele território e para o desenvolvimento rural com base na valorização da paisagem e cultura rural minhotas.

    A 2ª edição do Prémio Nacional da Paisagem registou 27 candidaturas, submetidas até 30 de novembro de 2018, com grande envolvimento dos municípios que correspondem a 70% do total de candidaturas apresentadas.

    Link para notícia: https://lagoas.cm-pontedelima.pt/pages/972?news_id=5887

  • Norte_Sustentável     Prémio Novo Norte Sustentável 2010

    A Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos foi distinguida com o Norte Sustentável, atribuído pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), gestora do Programa Operacional Regional do Norte e o Jornal de Notícias, entidades que lançaram o projeto dos "Prémios de Boas Práticas de Desenvolvimento Regional", sob a marca "Prémios Novo NORTE".

    "Distinguir o Norte e Premiar a Inovação" é o lema deste evento, que visa premiar iniciativas de empresas ou instituições localizadas na região Norte. Dividido em categorias: Norte Empreendedor, Norte Inclusivo, Norte Civitas, Norte Sustentável, Norte Criativo e Norte Inovador, este prémio pretende distinguir e valorizar pública e regularmente as iniciativas de desenvolvimento regional mais inovadoras em temas prioritários para a região Norte.

    A Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, foi a grande vencedora na categoria "Norte Sustentável", com um projeto que tem vindo a demonstrar grande dinâmica, atuando na conservação e preservação da natureza, bem como numa oferta múltipla de produtos, nomeadamente a interpretação ambiental, o alojamento, a restauração e a animação turística. Distribuído por dois polos - Centro de Interpretação Ambiental e Quinta de Pentieiros, a Área de Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, inova pela forma como conjuga a componente ambiental, lúdica, pedagógica e turística, atendendo à circunscrição geográfica do projeto.

    A aposta do Município centra-se na conservação e preservação dos seus valores naturais, sendo hoje um importante recurso de desenvolvimento social e económico.

    O Júri distingue esta paisagem protegida pela sua dimensão ambiental, pela da intervenção, expressão regional e potencial de replicação a outros territórios.