Página Inicial
siga-nos:  

Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Agenda de Eventos
Categorias
Não existem destaques
 

Página dos Espaços Ciência Divertida:


Zona Húmida de Importância Internacional


Prémio Novo Norte:


Aceda ao:

 
Projetos em Curso

Sidra das Lagoas - continuação da aposta nos produtos endógenos

Apesar da rara informação, existem referências que provam que a produção de maçã no concelho de Ponte de Lima também se destinava ao fabrico de sidra. A bebida, tradicionalmente obtida através da fermentação do mosto proveniente do esmagamento da maçã, era consumida principalmente nas Feiras Novas, bem como a nível doméstico.

Em 2005, com o propósito de recuperação da tradição do consumo de sidra nas Feiras Novas, com o objetivo da preservação e valorização das variedades regionais de macieira e com a perspetiva futura de que os pequenos agricultores locais pudessem obter proveitos, o Serviço Área Protegida das Lagoas de Bertiandos e de S. Pedro de Arcos iniciou a produção de sidra e seus derivados (espumante de sidra, aguardente vínica e jeropiga de sidra) que, dada a procura significativa, se manteve até ao presente.

Testes realizados com a supervisão de um enólogo demonstram que a sidra produzida é um produto estável e apresenta uma durabilidade próxima dos 18 meses, o que, e como consequência direta, provoca um aumento do período de consumo e do número de consumidores.

Levando em atenção os resultados obtidos e o grau de aceitação da grande maioria de quem já provou a Sidra Lagoas, encontra-se em implementação uma micro unidade de produção de sidra e dos seus derivados, nas antigas instalações da Cooperativa de Estorãos, permitindo, em última análise, criar todas as condições para que o projeto tenha o maior impacto possível na economia local, bem como seja mais uma contribuição para a divulgação do nome de Ponte de Lima.

 

Hortas Urbanas de Ponte de Lima

O Sensibilizar a população para os impactos ambientais e sociais resultantes das alterações que têm ocorrido no espaço rural, bem como disponibilizar aos munícipes, nomeadamente aos que não possuam terras agrícolas, um lote de terreno para fins agrícolas, são os objetivos principais deste projeto.

Em simultâneo, o projeto pretende proporcionar um espaço de ocupação dos tempos livres a todos os que participem no mesmo e ainda concorrer para a manutenção das atividades humanas e consequentemente para o uso e ocupação do solo da Veiga de Crasto, local onde vai decorrer o projeto.

Assim, o Município disponibiliza aos participantes um lote de terreno de 40m2 inserido numa área vedada, um ponto de água destinada à rega das culturas instaladas no lote, um abrigo comum para armazenamento dos utensílios agrícolas e um espaço comum para compostagem ou colocação de estrumes, para além de fornecer informação sobre os modos de produção e práticas culturais ambientalmente corretas e um livro que permitirá a comunicação entre os participantes e o Município de Ponte de Lima.

De acordo com o regulamento do projeto pode candidatar-se qualquer munícipe, sendo conferida prioridade aos candidatos seniores, a jovens casais, ou ainda a pessoas que não possuam terras agrícolas.

Inicialmente, ao serem apresentadas em 2009, as "Hortas Urbanas" contavam com 36 lotes de terreno mas face à elevada procura a que se assistiu verificou-se uma necessidade de disponibilizar um maior número. Neste sentido, em dezembro de 2011 o espaço aumentou para 81 lotes. Em março de 2012 deu-se uma nova ampliação sendo que atualmente a veiga de Crasto dispõe de 120 lotes de terreno.

No âmbito das Hortas Urbanas o Município de Ponte de Lima aderiu à rede de Agricultura Urbana e Peri Urbana. O PORTAU é uma plataforma inclusiva, aberta às instituições e à participação pública, que pretende, sobretudo, mas não só, promover o debate entre os diversos atores, disponibilizar informação e colocar em contacto experiências institucionalizadas e boas práticas de agricultura urbana e peri-urbana. A partilha de experiências ao nível destes projetos permitiu criar um Mapa da Agricultura Urbana em Portugal, pode saber mais http://www.portau.org/experiecircncias.html.

 Normas (PDF | 58 kb)
 Ficha de Inscrição (PDF | 252 kb)
 Acordo de Utilização (PDF | 204 kb)

 

Hortas Comunitárias de Arcozelo

O Projeto Hortas Comunitárias de Arcozelo detém como principal objetivo proporcionar um reforço do apoio social concedido, em especial a todos aqueles que integram a comunidade do Bairro Social da Poça Grande - Arcozelo, através da viabilização do cultivo de um lote de terreno que permitirá, entre outros, naquele contexto urbano específico, a obtenção de produtos agrícolas frescos que contribuam para a subsistência/complemento alimentar das famílias ali existentes, bem como para a ocupação de tempos livres ao ar livre e em contacto direto com a terra.

Neste quadro e por esta via, o Município de Ponte de Lima requalificou um terreno adjacente ao Bairro Social, sua propriedade, e criou um espaço de valorização do espírito comunitário que certamente exercerá um importante papel enquanto promotor da convivência social entre gerações e de bons comportamentos sociais, da saúde e da qualidade de vida dos participantes no projeto mas, também, ao nível da sensibilização dos mesmos para os impactos ambientais e sociais resultantes das profundas alterações que têm ocorrido no espaço rural.

Estarão disponíveis cerca de 20 lotes, com 45m2 cada.

 Normas (PDF | 74 kb)
 Ficha de Inscrição (PDF | 78 kb)
 Acordo de Utilização (PDF | 70 kb)

 
Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo
 
Avisos
Categorias
03 de Outubro
  Freguesia de Estorãos - Obrigatoriedade de poda e tratamento de citrinos infestados com a psila africana dos citrinos, Trioza erytreae (Del Guercio)
03 de Outubro
  ALERTA - Vespa das galhas do castanheiro
03 de Outubro
  Período crítico do Sistema de Defesa da Floresta alargado até 15 de outubro.
16 de Maio
  Recomendações de adoção de práticas de utilização racional de água para rega
28 de Novembro
  Inspeção Obrigatória dos Pulverizadores para Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos
Todos os Avisos
Notícias do Município
Tomada de Posse dos Órgãos Autárquicos para o Quadriénio 2017-2021
publicada em: 17.10.2017

A cerimónia que decorreu no Auditório Rio Lima, incluiu a instalação dos novos órgãos autárquicos para a Assembleia e Câmara Municipal.

No discurso oficial de tomada de posse, o Eng.º Victor Mendes, reeleito pela 3ª vez, agradeceu a confiança que "os ponte-limenses decidiram delegar em mim e na equipa que muito me honro de liderar, para definir os destinos deste território e da sua notável comunidade, os Limianos. (..) Assumo-me como o Presidente de todos eles sem exceção e tudo farei para os representar, defender e trabalhar em prol da efetiva elevação e melhoria da qualidade de vida."

Considerando que "Hoje, o Poder Local tem que se antecipar a tudo, tem que estar presente e ser o garante da qualidade de vida dos cidadãos antes que estes se tornem reclamantes. Tem, também, o Poder Local a obrigação e o dever de antecipar políticas e não ficar à espera que seja a Administração Central a defini-las, pela nossa proximidade às pessoas, por fazermos uma política olhos-nos-olhos, por conhecermos o território como as nossas próprias mãos, por sermos, independentemente dos cargos que ocupamos, oriundos das comunidades que servimos, ou seja, iguais na forma de encarar os problemas" sustentou o presidente reeleito para quadriénio 2017-2021.

Em jeito de balanço do anterior mandato, o autarca realçou "o cumprimento rigoroso dos projetos levados a cabo, bem como dos orçamentos municipais."

Para este 3º mandato o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima garantiu que "teremos que continuar a manter uma competitividade territorial saudável. Quatro anos em que o nome de Ponte de Lima terá de ser marcado no contexto regional, nacional e internacional. Quatro anos em que teremos que saber estar no local e horas certas para não perder oportunidades e os meios necessários para fazer do nosso futuro o garante de bem-estar que afiançamos às populações que representamos."

Município de Ponte de Lima promove obra de estreia de José Luís da Costa Sousa
publicada em: 17.10.2017

O romance "A casa de Real", da autoria de José Luís da Costa Sousa, vai ser apresentado no próximo dia 28 de outubro, pelas 15h00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima. Trata-se da produção literária de estreia do escritor vianense que tem dedicado a sua vida profissional à área das Ciências da Educação, exercendo em diversas escolas do ensino secundário e superior, no país e no estrangeiro.

Celebre a literatura regional e venha conhecer a obra "A casa de Real", cuja apresentação estará a cargo do professor ponte-limense, Vítor Araújo.

Esperamos por si!

Sobre o autor:

José Luís da Costa Sousa nasce a 20 de setembro de 1948 em Viana do Castelo. Finaliza o Curso Geral dos Liceus no Liceu Nacional vianense e, em 1966, conclui o Curso de Professores de Educação Física do INEF. Depois do Mestrado em Ciências da Educação – Metodologia da EF (1994) -, obtém o grau de Doutor em Ciências da Educação – Formação de Professores (2000) -, lecionando em escolas secundárias e em instituições do ensino superior, com destaque para o Instituto Superior de Educação Física, a Escola Superior de Educação de Lisboa e a Escola Náutica Infante D. Henrique. Também exerce funções na Escola de Educação Física e Desporto da Guiné-Bissau e no Instituto Nacional de Educação Física de Luanda, Angola.

Sinopse da obra:

Sebastião Correia de Matos foi o nome pedido em batismo no ano em que a criança nasceu, supostamente 1870, tendo por cenário a capela paroquial, singela e em estilo românico e por isso mais admirada, de Santa Eulália, Refojos do Lima. Aceitaria partilhar vida consigo até à morte Angélica Maria Correia de Matos. Depois... Depois o tempo correu, e seguiram-se outras gerações de naturais altos e baixos. Até que em 1939, a apreensão pelo que pudesse acontecer na sociedade e na aldeia atingiu o auge: a Alemanha Nazi tinha invadido a Polónia.

Município de Ponte de Lima inicia nova temporada da Bebéteca
publicada em: 13.10.2017

Trata-se de um projeto direcionado para bebés e crianças, dos 0 meses aos 5 anos, que promove o livro e a leitura através de várias atividades, nomeadamente uma Hora do Conto, um momento musical e um atelier de expressão artística.

A primeira sessão desta temporada contará com a presença da escritora Paula Ruivo que nos vai dar a conhecer a sua mais recente obra infantil intitulada "Depois da fábrica de Seripiteia”, que será seguida de um momento musical da responsabilidade da mesma autora, que se aventurou nas lides melodiosas e musicais com o tema "Os Guardiões".

Para terminar a ação pais e crianças darão asas à imaginação no atelier de expressão artística intitulado “Novelinho de Sonhos”.

Para mais informações e inscrições (gratuitas e limitadas) contacte-nos através do número 258900411 ou do email biblioteca@cm-pontedelima.pt.

Sobre a autora:

Paula Ruivo nasceu na freguesia de Vitorino das Donas, concelho de Ponte de Lima. Com sete anos vai viver para Lisboa, residindo atualmente na Malveira.
Dedica-se à escrita, tendo já publicado "A ervilha que queria ir à escola", "A ervilha que queria ir ao zoo", "A ervilha que queria ir de férias" . "Hiroki: o livro mágico", "Não quero ser o que sinto..." e agora "Depois da fábrica de Seripiteia".

Sobre o livro:

Haverá no mundo outras coisas além de novelos, camisolas, lãs, máquinas e operários?
A Piorreta acreditava que sim, mas vivia na fábrica de confeções, na aldeia de Seripiteia, e sair dali parecia mais um sonho do que uma realidade.
Mas o improvável acontece e, certo dia, a Piorreta e o Pimpolho foram para além dos portões da fábrica e conheceram os Guardiões.
Quem serão eles? O que protegem?

Consulte:

Ficha de inscrição

Notícias via e-mail:

Coloque o seu email:

Copyright © 2016. Município de Ponte de Lima. Todos os direitos reservados. : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :