Página Inicial
siga-nos:  

Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Agenda de Eventos
Categorias
26 de Junho a 01 de Setembro
  Oficinas de verão 2017
Todos os Eventos
Agenda Cultural

Página dos Espaços Ciência Divertida:


Zona Húmida de Importância Internacional


Prémio Novo Norte:


Aceda ao:

 
Rota da Azenha

Características Gerais:

Distância aproximada: 4,6 km.
Duração aproximada: 2h45 min.
Tipo de percurso: circular de pequena rota.
Grau de dificuldade: baixo.
Partida/chegada: Quinta de Pentieiros.

Ortofotomapa (PDF | 5 mb) faça aqui o download do mapa da Rota da Azenha

azenha

barra1 Rota  .:.  barra2 Limite das LBSPA

Descrição:

Esta rota começa na Quinta de Pentieiros, exploração agropecuária e florestal adquirida, pelo Município de Ponte de Lima, no âmbito do projeto de valorização da Área Protegida. A Quinta de Pentieiros, que pode ser visitada por um valor simbólico, concentra várias infra-estruturas e equipamentos associados ao alojamento, ao recreio e ao lazer e à demonstração e experimentação de técnicas e culturas agro-pecuárias e florestais, sendo que estas últimas estão enquadradas numa quinta pedagógica.

Será de destacar, no âmbito do património edificado, a Casa de Pentieiros de que foi "senhor Gonçalo de Sousa Menezes" e teve durante o séc XVII o mesmo morgado que o Solar de Bertiandos, Francisco Pereira da Silva.

Na área envolvente à Quinta de Pentieiros localizam-se ainda as seguintes infra-estruturas: a loja da Quinta, com restaurante/mercearia/bar, que confere apoio ao parque de campismo; um centro aventura e de atividades de natureza; o Centro Educativo das Lagoas, que inclui instalações de campos de férias geridas pela Área Protegida; e um polidesportivo.

De regresso ao percurso, tomamos a estrada municipal, seguindo em direção à igreja de Estorãos. O templo sofreu vários acrescentos ao longo dos séculos e foi numa das obras no início do séc. XX que foi encontrada uma Ara atribuível ao período romano, dedicada ao Génio Tiauranceaico (um dos génios protetores das povoações). Encontra-se no Museu Nacional de Arqueologia, embora exista uma cópia na Igreja. No exterior do edifício também são visíveis as alterações, nomeadamente ao nível da fachada, onde se nota um aumento na parte superior. A torre sineira é obra de meados do séc. XX, possui gárgulas de canhão em cada ângulo.

Daqui vamos desfrutar as águas do rio Estorãos, sobre as quais passa uma magnífica ponte em cavalete que muitos dizem ser obra romana, mas que é uma construção do séc. XVI ou mesmo XVII. Tem três arcos desiguais e lalhamares semelhantes aos das pontes romanas, mas não possui qualquer outro elemento que a date desse período. A comparação não é no entanto descabida, pois o caminho romano anda muito próximo e o rio Estorãos teria de ser atravessado no local elevado uma vez que no inverno as zonas alagadas da Veiga não eram transponíveis.

Ainda na ponte podemos admirar um cruzeiro, que se encontra ao centro. Na margem, uma azenha agora recuperada e funcionando como Unidade de Turismo Rural, surge como exemplo das muitas que encontraram no rio a sua fonte de energia. Na margem direita, à boca da ponte estão as alminhas que serviam para proteger os viajantes, lembrando-os de rezarem como forma de os salvaguardar do perigo. A inscrição no corpo inferior confirma-o: LEMBRAI-VOS DAS ALMAS COM UM PADRE NOSSO COM UMA AVE MARIA. Todo o conjunto possui elementos arquitetónicos do séc. XVIII.

Daqui, passamos a azenha e dirigimo-nos para a direita, em direção à Capela de Santo Amaro. Templo do séc. XVIII tem no interior para além da imagem do padroeiro, a imagem de S Pedro e da Nª Sr.ª . Na fachada lê-se a seguinte inscrição: NOS/AUTEM-GLO/RIA RIO....... CRUCE/DOMINI174 [2ou4]. Seguimos até à estátua das Quatro Mãos, símbolo da união de quatro freguesias, a saber, Estorãos, Moreira do Lima, S. Pedro de Arcos e Sá, perante um momento difícil do ponto de vista da subsistência daquelas comunidades, atravessando a área agrícola denominada, localmente, por veiga do Sobreiro. 

De regresso à Quinta de Pentieiros, passamos ainda pelas antigas instalações da Cooperativa de Estorãos, associadas ao projeto de emparcelamento agrícola da década de 60, recuperadas em 2010, pelo Município de Ponte de Lima, para servir de apoio à dinamização das atividades agro-pecuárias e florestais da Área Protegida e zona envolvente.

 
Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo
 
Notícias relacionadas:
Percurso de Plantas Aromáticas e Medicinais na Área Protegida | 19.06.2012
 
 
 
Avisos
Categorias
16 de Maio
  Recomendações de adoção de práticas de utilização racional de água para rega
19 de Abril
  Freguesia de Estorãos - Obrigatoriedade de poda e tratamento de citrinos infestados com a psila africana dos citrinos, Trioza erytreae (Del Guercio)
22 de Março
  Candidaturas ao Pedido Único (PU)
28 de Novembro
  Inspeção Obrigatória dos Pulverizadores para Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos
24 de Novembro
  Limpeza de cursos de água
Todos os Avisos
Notícias do Município
Lethes Art Ponte de Lima 2017 | Memória(s) & Identidade(s) de 1 de julho a 30 de setembro de 2017
publicada em: 28.06.2017

Lethes Art é um projeto artístico que promove a criação e exibição de obras de arte contemporânea de Artistas nacionais e estrangeiros em diversos locais de exposição da vila de Ponte de Lima, Município que o acolhe. O projeto almeja potenciar e facilitar a comunicação entre obras de arte, edifícios e lugares históricos da vila medieval, bem como entre o discurso artístico plural contemporâneo, os artistas e a perceção artística de públicos interculturais.

A proposta conceptual da primeira edição do Lethes Art Ponte de Lima, intitulada Memória(s) & Identidade(s), inspirou centenas de artistas que submeteram as suas propostas para esta mostra, nas categorias de Arquitetura, Cerâmica, Desenho, Escultura, Fotografia, Ilustração, Instalação de Arte, Livro de Artista, Pintura, Poesia, Vídeo, Computer Art, Land Art, Projection Art, e Sound Sculpture. Após o processo de seleção, regista-se a participação de cerca de 162 artistas, 22 países, num total de cerca de 300 obras, a exibir em 15 espaços de cultura. Cada espaço de exibição conta com uma Narrativa própria, numa audaciosa proposta de curadoria, que se desenvolve como linha temática do conceito geral apresentado na primeira edição do Lethes Art. Recriar uma narrativa de memória e identidade, de natureza desconstrutiva-reconstrutiva, para cada um dos espaços de exposição, é a proposta da curadoria.

De suporte ao projeto, aos artistas, e à equipa, bem como à comunicação de informação  e  registo em área privada (Área do Artista), tem o Lethes Art a sua plataforma, que disponibiliza informação útil e notícias da mostra, continuamente. Outra das potencialidades da plataforma é visitar o mapa da vila e conhecer de forma breve a história dos vários Locais de Exposição, bem como os respetivos horários de funcionamento dos edifícios e seus endereços <http://lethesartpontedelima.com>. A plataforma Lethes Art oferece, também, um espaço de Leituras & Escrita, que pode contar com o contributo de textos escritos, visuais e sonoros relacionados com tópicos pertinentes no âmbito das artes e da literatura, bem como da história e cultura. Para além da informação contida e recriada no catálogo da mostra, proposta igualmente ousada da curadoria, os visitantes podem deixar-se guiar pelo roteiro da mostra, com o mapa da vila e a indicação dos locais de exposição e respetivos horários, numa possibilidade de aproximar o lazer e as artes, a natureza e a cultura, tão bem sucedidas quando associadas ao turismo cultural.

A inauguração da Mostra tem início na Capela das Pereiras, às 18 horas, e termina com um Verde de Honra, prolongando-se excecionalmente o horário de funcionamento dos espaços de exposição. Motivada pela necessidade de preservar estórias pessoais e culturais na era da globalização, ou inspirada pelas lendas de Ponte de Lima, a sua história, e as imagens dos museus locais, jardins, capelas ou igrejas, as artes convocam-nos, em registos textuais, visuais e sonoros de memórias dos tempos diacronicamente plurais. Conheça a narrativa construída para cada edifício – com as obras de arte selecionadas desconstruídas e reconstruídas, outras textualidades emergem em cada edifício ou local!

Câmara Municipal de Ponte de Lima Aprova Requalificação dos Acessos a S. Lourenço ? Gondufe
publicada em: 28.06.2017

O espaço integra «um conjunto de miradouros das terras de Ponte de Lima», disse o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes.

Neste espaço religioso recentemente intervencionado, no âmbito do programa Leader, o Município procedeu à requalificação dos acessos a S. Lourenço – Gondufe.

A obra foi comparticipada em 70% pelo Município de Ponte de Lima, o que se traduziu no valor de 12.500€ (doze mil e quinhentos euros), e os restantes 30% foram assegurados pela Junta de freguesia de Gondufe.

II Torneio Concelhio de Futsal das Escolas do 1.º Ciclo de Ponte de Lima Pavilhão de S. Martinho da Gandra
publicada em: 28.06.2017

Os agrupamentos das escolas de Freixo, Arcozelo, Ponte de Lima e António Feijó, estiveram presentes nesta iniciativa com as Escolas Básicas de Freixo, Arcozelo, Correlhã e Ponte de Lima.

Foi uma manhã dedicada à prática desportiva, com a participação de 48 atletas, sendo de salientar a presença significativo dos encarregados de educação.

Esta atividade foi formada em parceria com a Associação de Pais e Encarregados de Educação de S. Martinho da Gandra, e com os Agrupamentos de Escolas de Ponte de Lima. Tem como objetivo fomentar a prática do desporto e desenvolver um maior intercâmbio escolar.

O torneio decorreu no Pavilhão Gimnodesportivo da Gandra, onde agrupou algumas seleções dos melhores atletas do 1º ciclo, que faziam a representação do seu Centro Escolar.

Notícias via e-mail:

Coloque o seu email:

Copyright © 2016. Município de Ponte de Lima. Todos os direitos reservados. : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :