Página Inicial
siga-nos:  

Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Agenda de Eventos
Categorias
26 de Junho a 01 de Setembro
  Oficinas de verão 2017
Todos os Eventos
Agenda Cultural

Página dos Espaços Ciência Divertida:


Zona Húmida de Importância Internacional


Prémio Novo Norte:


Aceda ao:



Rela
18 de Janeiro de 2011
Rela
Rela

As relas são pequenos anfíbios verde-alface que, apesar de serem comuns em diversas zonas húmidas do nosso País, acabam por passar despercebidas à maioria.

Nome Científico: 
Hyla arborea

Identificação e Características:
A Rela é um pequeno anuro (anfíbio sem cauda), geralmente com menos de 5 cm de comprimento. Possui olhos proeminentes e laterais; a íris é dourada com reticulado escuro. Tem membros compridos com 5 dedos nas patas posteriores e 4 nas anteriores. Os dedos terminam em discos adesivos (característica que lhes permite trepar, mesmo em superfícies escorregadias). A pele das relas é lisa e brilhante superiormente e mais granulosa ventralmente.

A coloração é em geral verde-vivo, mas podem aparecer indivíduos azulados, acinzentados ou acastanhados. Apresentam tipicamente uma linha escura lateral (bordada dorsalmente por uma linha branca ou amarelada) que começa no focinho, passa pelo olho e se estende até à região inguinal. Ventralmente são brancas ou acinzentadas. Os machos apresentam um saco vocal externo muito grande que, quando insuflado, chega a ser maior que o tamanho da cabeça. Quando o saco vocal não está insuflado, podem observar-se pregas cutâneas na garganta.

Os girinos desta espécie nunca ultrapassam os 5 cm de comprimento. Ao eclodirem medem entre 0,5 e 1 cm. Superiormente são esverdeados com manchas e reflexos prateados. A região muscular da cauda apresenta dorsalmente uma banda comprida mais escura.. As membranas caudais são translúcidas com pequenas manchas escuras.

Distribuição e Ocorrência:
Ocupa grande parte do centro da Europa. Na Península Ibérica está ausente na costa mediterrânica e Andaluzia. Em Portugal só não existe no Algarve e no interior do Alentejo.

Pode ser muito abundante em certos locais, no entanto as suas populações têm sofrido uma regressão notável.

Estatuto de Conservação:
Esta espécie faz parte do anexo II da Convenção de Berna e do anexo B-IV da Directiva Aves/Habitats (DL 140/99 de 24 de Abril). Em Portugal é considerada não ameaçada (NT).

Factores de Ameaça:
Os principais factores de ameaça para esta espécie são o desaparecimento progressivo das zonas húmidas, onde se concentram em número elevado para se reproduzir, a destruição ou alteração da vegetação das ribeiras e a utilização de insecticidas.

Habitat:
As relas preferem habitats ricos em vegetação e relativamente húmidos, encontrando-se em zonas encharcadas, pântanos, lagoas, caniçais, arrozais, prados e outros meios similares. Vivem tanto ao nível do mar como em zonas de montanha.

Alimentação:
A sua dieta inclui diversos tipos de invertebrados tais como insectos, aracnídeos e miriápodes. Os girinos são herbívoros e detritívoros.

Inimigos naturais:
Os adultos são predados por cobras de água e por várias aves como as garças e as corujas. As larvas são predadas sobretudo por insectos aquáticos carnívoros e por aves aquáticas.

Reprodução:
Em Portugal a época de reprodução ocorre, em geral, entre Abril e Junho. Os machos são os primeiros a chegar aos locais de reprodução. Atraem a fêmea através de um chamamento e abraçam-nas pelas costas (amplexo axilar). O amplexo pode durar até 30 horas. A fêmea deposita cerca de 1000 ovos em cacho. Como locais de postura, as relas escolhem zonas com água parada ou com pouca corrente e com alguma vegetação aquática.

Movimentos:
Têm hábitos trepadores, encontrando-se frequentemente em ramos, folhas de árvores ou arbustos. Realizam migrações para os charcos, na época da reprodução. Podem dispersar-se muito.

Actividade:
Embora sejam predominantemente crepusculares e nocturnas, também podem observar-se indivíduos activos durante o dia, sobretudo após uma forte chuvada, uma tempestade ou com tempo nublado. No inverno hibernam por um período de tempo variável.

Na Paisagem Protegida:

É uma espécie muito comum na Paisagem Protegida, apesar de ser mais fáceis de ouvir do que observar. O seu canto assemelha-se a um "Crrruuáááá" prolongado.

Fonte: Naturlink.

Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo


Avisos
Categorias
16 de Maio
  Recomendações de adoção de práticas de utilização racional de água para rega
19 de Abril
  Freguesia de Estorãos - Obrigatoriedade de poda e tratamento de citrinos infestados com a psila africana dos citrinos, Trioza erytreae (Del Guercio)
22 de Março
  Candidaturas ao Pedido Único (PU)
28 de Novembro
  Inspeção Obrigatória dos Pulverizadores para Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos
24 de Novembro
  Limpeza de cursos de água
Todos os Avisos
Notícias do Município
Município de Ponte de Lima transfere 760 000 euros para as Juntas de Freguesia do concelho
publicada em: 23.06.2017

Como forma de garantir a qualidade de vida dos munícipes, a Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou a transferência de uma verba no valor de 760.000€, às Juntas de Freguesia, entidades intimamente ligadas às populações que representam e por isso conhecem de forma mais direta as prioridades das populações.

Neste contexto, Município de Ponte de Lima procedeu à transferência da quantia de 760.000€ para diversas Juntas de Freguesia do concelho, como comparticipações financeiras no âmbito das obras de requalificação e beneficiação da rede viária municipal.

Foram contempladas as Juntas de Freguesia de Fontão, Anais, Bárrio e Cepões, Beiral do Lima, Cabração e Moreira do Lima, Calheiros, Estorãos, Gandra, Cabaços e Fojo Lobal, Labruja, Poiares, Rebordões Souto, Refoios do Lima, Ribeira, Sá, Arcos, Labrujó, Rendufe e Vilar do Monte, Vitorino das Donas e Fornelos e Queijada e Rebordões Santa Maria.

A verba aprovada visa ajudar a comparticipar diversas obras, nomeadamente na requalificação da rede viária.

Vaca das Cordas e Tapetes Floridos para a Procissão do Corpo de Deus
publicada em: 23.06.2017

A importância que as Gentes Limianas dão às suas ancestrais tradições torna-as num exemplo nacional em termos de preservação e manutenção, com muito valor acrescentado, da memória, da identidade e da tradição, factores primordiais para uma competitividade territorial sadia e diferenciadora.

Em Ponte de Lima temos a firme convicção que as nossas populações não têm quaisquer dificuldades em dizer presente aos desafios lançados e aos reptos apresentados, independentemente do grau de dificuldade que possam acarretar.

A Vaca das Cordas e a realização dos Tapetes Floridos nas ruas da Vila para a Procissão de Corpo de Deus são dois momentos que temos sabido preservar, com o afinco e dedicação de populares anónimos que dão de si para a Terra que os viu nascer ou que os acolheu para nela viverem.

Sem eles, sem essas pessoas em que o esmero pessoal, o amor a Ponte de Lima e o querer engrandecer o nome da nossa Terra, sem se pouparem a esforços, seria de todo impossível e impensável levar a bom porto essas manifestações que nos colocam em lugares cimeiros nas áreas da etnografia, da antropologia e de muitas outras áreas das ciências sociais.

Por isso, é da mais inteira justiça tornar público o reconhecimento que o Município de Ponte de Lima apresenta às cidadãs e cidadãos envolvidos na preparação e planificação, no apoio e na organização da Vaca das Cordas e dos Tapetes Floridos, agradecendo tudo quanto fizeram para que esses tão relevantes eventos alcançassem o êxito merecido e devidamente aplaudido por residentes, visitantes e turistas.

Um bem haja para todos, sem qualquer excepção.

Prevenção de Incêndios Florestais - Medidas Preventivas em vigor até 30 de setembro
publicada em: 23.06.2017

Durante este período, independentemente das condições meteorológicas, em todos os espaços rurais é expressamente proibido realizar fogueiras para a confecção de alimentos, queimar matos, silvas ou qualquer tipo de sobrantes agrícolas ou florestais, e lançar foguetes e balões com mecha acesa. Também durante este período, o acesso, a permanência e a circulação no interior de determinadas áreas florestais é condicionado e nos trabalhos e outras atividades que decorram nos espaços rurais, é obrigatório que as máquinas de combustão interna e externa a utilizar, onde se incluem todo o tipo de tractores, máquinas e veículos de transporte pesados, sejam dotadas de dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e de dispositivos tapa - chamas nos tubos de escape ou chaminés, e estejam equipados com um ou dois extintores de 6 kg, de acordo com a sua massa máxima, consoante esta seja inferior ou superior a 10 000 kg.

Solicita-se a quem avistar um incêndio que ligue de imediato 117 (chamada gratuita)!

Tenha cuidado, um pequeno descuido pode causar um grande incêndio!

Notícias via e-mail:

Coloque o seu email:

Copyright © 2016. Município de Ponte de Lima. Todos os direitos reservados. : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :