Passar para o Conteúdo Principal Top

Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos Ponte de Lima

Paisagem Protegida das Lagoas_v2

Cuco-canoro

Cuculus canorus 1 600 600

O canto do Cuco (Cuculus canorus) é talvez o mais conhecido de todos os que se podem ouvir no nosso território. Anuncia a chegada da primavera.

 
Identificação

O Cuco é uma espécie de asas alongadas, com cauda longa e ampla toda cinzenta, exceto nas partes inferiores, listradas de cinzento. A parte inferior tem a ponta cinzento-ardósia e sarapintada de branco. Os juvenis variam de castanho-avermelhado na parte superior com listras escuras até ao castanho-acinzentado com listras muito menos nítidas. As partes inferiores são castanho-amareladas, com listras mais escuras, e uma pinta branca proeminente na nuca.

 

Voo e canto

Em voo, os cucos-canoros lembram um pequeno falcão, com as suas asas pontiagudas e caudas longas, mas com a cabeça mais pequena e arredondada e voo mais firme e direto. O seu canto é um rítmico "cu-cu", substituído por uma versão de três notas, mais adiante na época do ano, enquanto as fêmeas emitem um som intenso prolongado e ondulante.

 

Habitat e Alimentação

Os cucos-canoros aparecem virtualmente em todos os habitats concebíveis, à exceção das áreas densamente povoadas. É uma espécie insectívora, alimentando-se especialmente de lagartas.

 

Nidificação

Dedicam-se ao parasitismo na reprodução, pois não constroem qualquer ninho próprio. Ao invés, removem um ovo da espécie hospedeira e substituem-no por um dos seus, que em geral imita o daquela. Utilizam uma larga gama de aves neste processo, variando de tamanho, dos melros às carriças. As petinhas e os rouxinóis-pequenos-dos-caniços são os hospedeiros mais comuns e, entre as aves de jardim, as ferreirinhas-comuns. Cada cuco-canoro é específico a um único hospedeiro, que costuma ser uma ave insectívora.

O jovem cuco-canoro remove os outros ovos da espécie hospedeira - ou as crias, se incubam primeiro - e fica então com o ninho e os pais adotivos só para si. Um dos espetáculos mais curiosos da Natureza é o de um cuco-bebé enorme e faminto, dentro ou fora do ninho, a ser alimentado pelos relativamente pequenos pais adotivos. Os cucos-canoros poderão ter o que parecem ser maus hábitos, mas não afetam de modo algum o número das aves pequenas.

 

Na Paisagem Protegida

O Cuco-canoro é uma ave frequente na Área Protegida. Ocorre em áreas arborizadas, regiões pantanosas e em leitos de juncos.

 

Fonte: Adaptado de Guia das Aves (Mike Everett, Editorial Estampa, 1997).