Página Inicial
siga-nos:  

Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
categorias Categorias
Anfíbios
Aves
Mamíferos
Plantas
Répteis
Agenda de Eventos
Categorias
01 de Fevereiro a 28 de Fevereiro
  Exposição do Centro de Interpretação Ambiental (CIA)
26 de Março a 06 de Abril
  Oficinas de Páscoa 2018
Todos os Eventos
Agenda Cultural

Página dos Espaços Ciência Divertida:


Zona Húmida de Importância Internacional


Prémio Novo Norte:



Fuinha
01 de Dezembro de 2016
Fuinha
Fuinha

A fuinha (Martes foina) é um pequeno carnívoro com o corpo alongado, membros baixos e cauda comprida e espessa. A sua cabeça é larga e mais clara que o resto do corpo. Tem orelhas salientes e arredondadas e o focinho afilado.

A sua pelagem apresenta uma coloração castanha (por vezes arruivada) e possui uma mancha peitoral de cor clara (de branco a creme), que se estende desde a garganta até à zona inicial das patas anteriores e que se divide em duas, por uma lista escura longitudinal.

As patas da fuinha são mais escuras do que o resto do corpo. É uma espécie muito semelhante à Marta (Martes martes), sendo por vezes difícil de as distinguir.

Habitat:
É um animal com preferência por regiões arborizadas ou rochosas, evitando terrenos baixos, abertos ou com poucas árvores. Também pode viver em associação com o Homem, procurando refúgio em estábulos, celeiros e sótãos existentes em ambientes rurais.

Comportamentos:
A fuinha é um animal essencialmente crepuscular e noturno, ainda que, nas zonas onde é abundante, seja possível observá-la durante o dia. Desloca-se aos saltos no solo e é boa trepadora. O contacto vocal é muito intenso entre a progenitora e os juvenis.

É geralmente solitária, no entanto, as que vivem em vilas podem andar em grupos de 4 a 5 animais. É territorialista, defendendo o seu território de caça, que percorre pelos mesmos trilhos, em busca de alimento. Dentro do seu território, dispõe de vários refúgios que podem ser cavidades em árvores ocas, montículos de pedras ou construções humanas pouco frequentadas, como estábulos, celeiros e sótãos. Não tem por hábito escavar a sua toca no solo.

Reprodução:
A fuinha é um animal poligâmico, e o acasalamento, apesar de poder ocorrer em qualquer mês do ano, é mais comum de fevereiro a maio e entre julho e setembro. Tal como outros mustelídeos, possui o fenómeno de implantação retardada - o embrião permanece no útero materno por um período de 3 a 10 meses, antes de ocorrer a sua implantação.

Tem uma ninhada por ano e a verdadeira gestação é de 60 dias. As crias, em norma 3 a 4 por ninhada, nascem na primavera. O desmame ocorre perto das 8 semanas, ficando as crias junto da mãe, a única responsável pelos cuidados parentais. Após 8 a 10 semanas aventuram-se fora do refúgio e, durante 2 a 3 semanas, acompanham a mãe, fazendo deslocações progressivamente maiores. Atingem sua a maturidade sexual aos 2 anos de idade.

Dieta:
A dieta da fuinha é muito variada, dependendo da disponibilidade de alimentos. É um predador generalista e oportunista, consumindo principalmente pequenos mamíferos (ratos, musaranhos e ratazanas), aves, insetos e ovos. Alimenta-se ainda de frutos e de todo o tipo de desperdícios deixados pelo Homem. As suas presas são consumidas quase na totalidade e o que sobra é acumulado junto ao seu refúgio, o que permite a sua subsistência quando o alimento é escasso.

Fatores de Ameaça:
A fuinha não tem, praticamente, inimigos naturais, embora os juvenis possam ser vítimas de grandes carnívoros e de rapinas diurnas e noturnas. Assim, os principais fatores de ameaça para esta espécie são a destruição do seu habitat e a pressão humana. É uma espécie que sofre perseguição ilegal por parte do Homem, principalmente nas zonas de caça. É considerada, erradamente, predadora de espécies cinegéticas, sendo capturada em ações de controlo de densidades de predadores.

É perseguida porque quando ataca galinheiros, mata mais presas do que aquelas que necessita. Esta atitude constitui uma reação ao movimento dos animais existentes nesse espaço. A fragmentação e destruição do habitat, devido a ações de desflorestação e incêndios, e a morte por atropelamento também são considerados fatores de ameaça.

Na Paisagem Protegida:

Esta espécie protegida não é de fácil observação na Área Protegida, uma vez que possui hábitos essencialmente noturnos.

Fonte: Adaptado de Azibo.

 


Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo


Avisos
Categorias
24 de Janeiro
  Novo mecanismo de indemnização por prejuízos atribuídos ao lobo
18 de Novembro
  Governo prolonga período crítico de incêndios até 23 de novembro
16 de Novembro
  Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola
07 de Novembro
  Governo volta a prorrogar período crítico de incêndios
07 de Novembro
  Proibição de produção e comercialização de plantas de citrinos no interior da zona demarcada
Todos os Avisos
Notícias do Município
Feira 100% Agrolimiano Potencia os Produtos Endógenos - Ponte de Lima recebeu milhares de visitantes
publicada em: 22.02.2018

Mostrar, divulgar e promover o melhor do que se produz no setor agroalimentar em Ponte de Lima, foi o principal objetivo da III Feira 100% Agrolimiano, que decorreu no passado fim-de-semana no Pavil

Exposição evocativa dos 100 anos da morte de António Feijó
publicada em: 22.02.2018

A Fundação Caixa Agrícola do Noroeste, em parceria com o Município de Ponte de Lima, organiza uma exposição de homenagem ao poeta-diplomata ponte-limense, c

IV Expo Saúde Social em Ponte de Lima | 24 e 25 de Fevereiro 2018
publicada em: 22.02.2018

Considerando a importância de promover um estilo de vida saudável, dirigido a toda a comunidade, o Município de Ponte de Lima realiza no próximo fim-de-semana a IV Expo Saúde Social.

A d

Notícias via e-mail:

Coloque o seu email:

Copyright © 2016. Município de Ponte de Lima. Todos os direitos reservados. : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :