Página Inicial
siga-nos:  

Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
categorias Categorias
Anfíbios
Aves
Mamíferos
Plantas
Répteis
Agenda de Eventos
Categorias
01 de Março a 31 de Março
  Exposição do Centro de Interpretação Ambiental (CIA)
04 de Novembro a 02 de Abril
  Ponte de Lima em Alta 2016-2017 | 15% desconto em Alojamento
05 de Abril a 13 de Abril
  Oficinas de Páscoa 2017
Todos os Eventos
Agenda Cultural

Página dos Espaços Ciência Divertida:


Zona Húmida de Importância Internacional


Prémio Novo Norte:


Aceda ao:



Corço
18 de Janeiro de 2016
Corço
Corço

O corço (Capreolus capreolus) apresenta um corpo pequeno em relação aos membros finos e longos. A pelagem é castanho-avermelhada no verão e castanho-acinzentada no inverno, e as crias apresentam manchas brancas até aos 6 meses. A região do ventre é mais clara do que o dorso, o escudo anal e a cauda apresentam cor branca.

Existe dimorfismo sexual: o macho apresenta hastes cilíndricas (pequenas com três pontas no máximo), que atingem o auge do desenvolvimento quando os animais têm cerca de 5 a 6 anos de idade. As hastes nascem todos os anos, em dezembro-janeiro, e a sua queda ocorre em outubro-novembro. Os machos apresentam o escudo anal em forma de "rim" e as fêmeas em forma de "coração" invertido.

A muda ocorre entre outubro-novembro.

Habitat:
O corço tem preferência por áreas de mosaico, formadas por bosques e zonas abertas com prados, matos ou áreas agrícolas. Faz o seu "ninho" e repousa em zonas de bosque cerrado.

Sinais de Presença:
Podem ser observados trilhos na vegetação e marcações nos arbustos ou árvores feitas para marcação de território (com remoção da casca do caule, resultante dos animais aí esfregarem a região frontal). Nos locais de alimentação, a vegetação consumida apresenta-se serrilhada e os caules das espécies lenhosas ficam desfiados. As pegadas são pequenas e em forma de seta, estando nítidas as impressões dos 2 dedos mais desenvolvidos. Os dejetos têm cor negra, forma cilíndrica e são afilados numa extremidade. Estes são depositados em pequenos grupos, ao longo dos trilhos e locais de alimentação.

Comportamento:
Animal crepuscular, que se alimenta sobretudo de noite ou ao amanhecer, desde que não seja perturbado. As fêmeas e as suas crias do ano anterior formam grupos, aos quais se podem associar os juvenis. Os adultos emitem latidos semelhantes ao de um cão, que são repetidos a intervalos regulares, podendo significar perturbação ou ameaça. Animais territoriais, os machos são solitários, embora se juntem às fêmeas, durante algum tempo, na época de reprodução. Na altura do cio, os machos emitem um bramido característico e as fêmeas um grito em tom muito elevado. Marcam o território com ajuda das glândulas odoríferas junto à base das hastes, por isso as suas marcações são odoríferas e visuais.

Reprodução:
Os machos iniciam a defesa do território em abril, ocorrendo os acasalamentos em julho e agosto. O período de gestação dura cerca de 6 meses, tendo uma interrupção por um período de 3-4 meses, recomeçando em dezembro-janeiro. As ninhadas têm normalmente 2 crias e os nascimentos ocorrem entre abril e junho. O desmame ocorre às 6-10 semanas (o aleitamento das crias é assegurado após novo acasalamento da progenitora) e os juvenis atingem a maturidade sexual aos 14 meses.

Dieta:
O corço é um animal herbívoro, que se alimenta de espécies arbustivas, de rebentos, folhas de árvores e de vegetação herbácea. Alimenta-se de frutos silvestres, cogumelos e cereais em zonas agrícolas.

Fatores de Ameaça:
Durante a época venatória, alguns corços são abatidos, embora a caça a esta espécie, salvo exceções regulamentadas, seja ilegal. São também ilegalmente apanhados em laços e armadilhas e vítimas de atropelamento nas vias rodoviárias. O lobo é considerado o seu principal predador, embora os cães assilvestrados também sejam seus predadores diretos. Os rebanhos de cabras e ovelhas competem com o corço pelo alimento.

Na Paisagem Protegida:

Esta espécie protegida não é de fácil observação na Área Protegida, no entanto, é possível observar com alguma frequência as suas pegadas e excrementos.

Fonte: Adaptado de Azibo.

 


Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo


Avisos
Categorias
22 de Março
  Candidaturas ao Pedido Único (PU)
13 de Dezembro
  Freguesia de Estorãos - Obrigatoriedade de poda e tratamento de citrinos infestados com a psila africana dos citrinos, Trioza erytreae (Del Guercio)
28 de Novembro
  Inspeção Obrigatória dos Pulverizadores para Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos
24 de Novembro
  Limpeza de cursos de água
Todos os Avisos
Notícias do Município
Câmara Municipal de Ponte de Lima aprova Zona de Intervenção Florestal - ZIF Monte da Nó e Padela
publicada em: 28.03.2017
Encontra-se em fase de constituição, no concelho de Ponte de Lima, mais uma Zona de Intervenção Florestal, denominada ZIF Monte da Nó e Padela, abrangendo as Freguesias de Poiares, Navió e Vitorino de Piães, Ardegão Freixo e Mato, Facha...
Seminário 'A Internacionalização das empresas agroalimentares e da InovCluster' em Ponte de Lima - 21 de dezembro
publicada em: 21.12.2016
O Município de Ponte de Lima apoia a realização do Seminário "A Internacionalização das empresas agroalimentares e da InovCluster", a realizar em Ponte de Lima, a 21 de dezembro.
Câmara Municipal de Ponte de Lima aprova a Empreitada de 'Beneficiação da Escola Básica Integrada da Correlhã'
publicada em: 15.12.2016
A Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou a Empreitada de "Beneficiação da Escola Básica Integrada da Correlhã" tendo realizado a 13 de dezembro a assinatura do Auto de Consignação da obra, pelo valor de 208.218,18€+Iva.
Notícias via e-mail:

Coloque o seu email:

Copyright © 2016. Município de Ponte de Lima. Todos os direitos reservados. : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :